11 fevereiro 2014

Toxic - Capítulo 7 (Bitches)

1.267 palavras

Estrella Hastings Narrando

— Eu falei para você não brincar comigo Estrella.

Então ele me soltou com força fazendo minha mão bater no carro e machucar, saindo dali com uma garota desconhecida por mim em seu carro. Deixando apenas a poeira no ar. Coitado, será que ele pensou que eu, Estrella Hastings sentiria medo dele? Pois ele estava muito enganado.


[...]

— Eu não quero assaltar esse banco novamente.
— Você não tem que querer, quem fala o que vamos ou não fazer sou eu.
— Vai tomar no seu cu Gusttavo, as coisas não devem ser como você quer.
— Mais quem manda nessa porra sou eu e nós vamos viajar amanhã.
— Eu já disse que não quero.
— E eu respondi o que penso sobre isso.
— Eu não vou.
— Claro que vai você entrou para nosso mundo e não vai sair dele, a não ser que você seja morta.

Estrella se levantou e saiu de seu escritório, batendo forte a porta deixando um quadro que estava na parede cair no chão. Gusttavo estava conseguindo o que tanto queria, ele odiava ser trocado por alguém, ainda mais quando esse alguém fosse um empregado seu. Ele possui um gênio muito forte, ele não admite que o faça de bobo como ela fez.

[...]

— Eu também vou com vocês — disse Debby entrando em meu quarto.
— Você o que?
— Samuel disse que vai me ensinar.
— Não Deb, não faça isso. É errado e não te faz se sentir bem.
— Então entrou por quê? Sente medo de que eu possa agir feito uma vadia como você tem feito desde que entrou pra esse mundo? Tem medo de eu sair pegando todos os caras e transando com todos eles em apenas uma noite? Ou tem medo que eu seja melhor que você e eles decidem te tirar da equipe? — dei-lhe um tapa que deixou marcas em seu rosto.
— Nunca mais se refira a mim desta maneira, saia agora do meu quarto.

Deb irá me pedir perdão de joelhos, quem ela pensa que é para falar comigo desta maneira?~

— Irritada? — zoou Gusttavo se jogando em minha cama ao meu lado.
— Quem te deu permissão? — falei o empurrando.
— Não preciso de permissões. Sabe que eu concordo com o que sua melhor amiga disse né? Engraçado como ela pensa como eu
— Vai embora — disse me levantando e abrindo a porta.
— Se ela não estivesse com o Samuca eu iria comer ela de quatro agora. Deb é uma garota levada, sempre deu moral para mim.
— Eu perguntei alguma coisa Gusttavo? Acho que não né, então SAIA daqui porra.
— EU NÃO VOU SAIR MERDA. — gritou fechando a porta bruscamente. — Você sabe que eu não estou nem um pouco contente por ter visto você com o Luan.
— Não costumo agradar pessoas do mesmo nível que o seu Gusttavo;
— Você é uma vadia.
— Não, eu sou burra por ter dormido contigo um dia...
—... E ter gemido como uma vadia.
— Saia daqui antes que...
— Que o que? Antes de abrir as pernas e pedir para me ter dentro de você?
— Sai, estou falando sério.
— Ou o que?
— Tenho uma arma na minha gaveta.
— Você fica sexy usando ela, pega lá.
— Sai daqui desgraça — gritei o empurrando e ele me segurou firme pelos pulsos.
— Eu não sou o seu brinquedo, eu não sou como um tapete para ser pisado por uma vadia, eu não sou um animal que gosta de restos, eu não sou um palhaço para ser feito como tal. Fique esperta garota, eu posso acabar com você apenas estralando os dedos.
— Estralem os de seus pés, quem sabe você consiga — ironizei caminhando em direção ao banheiro, sendo impedida pelo mesmo de fechar a porta.

Gusttavo entrou juntamente comigo e me prensou contra a parede, pude sentir a parede fria em minhas costas. Ele me apertava com força pela cintura, seus lábios estavam em meu pescoço, causando-me arrepios que só ele conseguia causar. Sua barba mal feita "arranhava" minha pele, deixando-me com mais necessidade de seu corpo ao meu.

Suas mãos agora se encontravam em minhas coxas, até que ele as subiu se chocando em meu bumbum, fazendo-me encaixar em sua cintura com as pernas. Gusttavo colocou-me sentada em cima da pia e desceu a alça do meu vestido, enquanto apertava meus seios ainda cobertos.

Sabe quando você sente as pernas bambas? Quando você quer fazer uma coisa mais não consegue? Eu tentava tirá-lo dali, tentava não ceder, mais estava sendo complicado. Mesmo com toda a raiva que estava sentindo, eu queria ele dentro de mim, eu queria gemer o nome dele e dizer coisas sem nexo como aconteceu na nossa primeira noite juntos.

Quando ele afastou minha calcinha para o lado e deslizou seus dedos em minha intimidade, senti que fosse apenas nós dois ali, mas ele sabe jogar e ele sabe que sempre ganha nos jogos. Gusttavo se afastou com um sorriso vitorioso nos lábios e antes de sair disse:
— Acha mesmo que eu iria transar contigo depois do que fez? Não Estrella, eu não sou do tipo que faz o que uma garota deseja, as coisas acontecem ao contrário comigo. Tenha uma boa tarde.

Eu juro que ainda o farei pagar por cada vez que me chamou de vadia.

[...]

Samuel e eu tínhamos acabado de chegar na Boate, Gusttavo já estava lá com duas vadias sentadas em seu corpo e um na entrada da área vip. Deb chegou em seguida e se sentou ao lado de Samuel, enquanto eu ficava de vela. Não, eu não estou com o Luan, foi apenas uma noite e pronto. Se apegar faz mal.

— Então quer dizer que Gusttavo trocou de vadia?

Foi o que ouvi no banheiro. Estava em uma das cabines quando escutei uma garota conversar com alguém se referindo a minha pessoa.

— Eu sabia que a vadiada Estrella seria passageira, com todas são, ainda mais com aquela sem sal.
— Awn, você é tão doce que ele deve ter se enjoado contigo apenas olhando para esse seu rosto enfeitado.  falei saindo da cabine a as garotas me olharam assustadas.  Qual é, vão parar de conversar porque estou aqui? Podem continuar, não ligo para vadias que se acham as donas do pedaço. Quem manda aqui sou eu, então pensem bem antes de falar de mim pelas costas.

Saí e ao chegar na escada da área Vip senti alguém puxar-me pelo braço. Era a tal garota.

— Saiba que você não manda em porra nenhuma, você é apenas uma pau mandada. Apenas mais uma das vadias que Gusttavo coleciona.  assim que ela terminou, tirei minha arma da cintura e dei-lhe dois tiros na boca.
— Eu disse que eu mando aqui, e ainda te avisei. Quer se juntar a ela?  perguntei me referindo a amiga da garota que estava toda ensanguentada no chão, ela negou com a cabeça assustada  então some daqui e nunca mais apareça na minha frente.

As pessoas tinham parado de dançar e todas me encaravam como se eu tivesse acabado de matar alguém... Ah é eu matei, rs.

— Que merda é essa?  Samuel disse ao lado de Gusttavo.
— Uma vadia que fala demais morta  sorri.
— Porque matou ela? Você é louca?  Gusttavo perguntou irritado.
— Louca é ela de falar mal e mim pelas costas e ainda dizer que eu sou apenas mais uma vadia da sua coleção  sorri  idiotas.

Eu estava me sentindo aliviada, bebi um pouco e me joguei na pista de dança quando senti duas mãos em minha cintura.

— Bruno?
— Enfim lhe encontrei   ele sorriu  vem comigo?
— Claro, porque não iria?  falei mordendo o lábio e saindo com ele, vendo Gusttavo me observar com a cara fechada.

Ah, eu adoro provocar.

  • Roupa de Estrella: aqui. (escolhe sua preferida)
  • Estou demorando a atualizar porque comecei a fazer faculdade e ando muito cansada e sem tempo ;)

  • Fiquem atualizadas com novos capítulos, participando do Grupo no Face (aqui) ou nos seguindo no Twitter Oficial do Blog (aqui). 
  • Deixem os users de seus Twitters nos comentários aqui no Blog, no grupo do Face ou deixe seu comentário no nosso Twitter @ImaginesGL :)
  •  Fiquem de olho no nosso Twitter de Imagines, costumo dar dicas sobre o que acontecerá nos próximos capítulos.

06 fevereiro 2014

Toxic - Capítulo 6 (Luan)

Escutem enquanto leiam (aqui) e quando acabar essa (aqui)
1.626 palavras

Estrella Hastings Narrando
Passaram-se três semanas e estávamos em uma das Boates de Gusttavo para comemorar mais um assalto ao banco.
— Mistura uma Tequila com Bacardi – pedi para o cara que estava no bar. 

Depois de algum tempo sentada no bar, senti a bebida fazer efeito sobre mim, então resolvi dançar. Eu já estava me esfregando em qualquer um na pista de dança, quando achei um alvo. Luan, sim o gato que foi contratado por Gusttavo e Samuel semanas atrás. Fui andando em sua direção e ele me olhou meio apreensivo.
— Que dançar? – Peguei sua mão, o levando em direção à pista de dança sem esperar sua resposta.

No mesmo minuto começou a tocar Give Me Everything do Pitbull, dei um sorrisinho maroto e comecei a dançar no ritmo da música de costas para ele e ele segurou minha cintura, começando a dançar também. Desci até o chão em um movimento sensual.

Tonight I want all of you tonight.
Esta noite quero tudo de você.
Give me everything tonight.
Me dê tudo esta noite.
For all we know we might not get tomorrow.
Pois todos sabemos que podemos não estar aqui amanhã.
Let's do it tonight.
Vamos fazer esta noite.

Quando subi novamente, estávamos nos olhando olho no olho pela primeira vez desde que começamos a dançar. Virei-me de frente para Luan, e ele segurou minha cintura com mais força, aproximando nossos corpos, nos deixando mais colados. Encurvei-me pra frente e rocei meus lábios nos seus. 

Luan deslizou as mãos sensualmente pela minha cintura e encaixou sua coxa entre as minhas e olhou sorrindo, desci os olhos até a boca dele que continha um sorriso sexy. Fechou os olhos e se deixou levar pelo ritmo da música.

Reach for the stars.
Alcance as estrelas.
And if you don't grab 'em.
E se você não pegá-las.
At least you'll fall on top of the world.
Pelo menos você vai cair no topo do mundo.
Think about it.
Pense nisso.
Cuz if you slip.
Porque se você escorrega.
I'm gon' fall on top yo girl.
Vou cair em cima de você garota.
And make love to you endless.
E faço amor contigo até não querer mais.

A língua dele deixava um rastro quente, do meu pescoço até meu ombro. Levei minhas mãos até sua nuca e acariciei seu cabelo, sentindo-o aumentar a intensidade dos beijos. Pressionei mais o corpo contra o dele e ele começou a reagir de uma forma mais perceptível. E eu estava adorando tudo aquilo, ainda mais a cara de Gusttavo assistindo tudo pela Área VIP. Passei novamente os braços pescoço dele e sussurrei a música vendo os seus olhos fixos em minha boca.

Let's do it tonight.
Vamos fazer esta noite.
I want you tonight.
Eu quero você esta noite.
I want you to stay.
Quero que você fique.
Give me everything tonight.
Me dê tudo esta noite.

Aproximei o rosto ao dele e lhe dei um beijo no canto da boca e uma mordida leve. Ele estava sendo torturado ali e quando olhou para o andar de cima e viu que Gusttavo estava de olho, ficou assustado. Puxei seu rosto e lhe dei um rápido selinho, passando as unhas pelo peito e barriga dele, ainda por cima da camisa.

— Eu não vou aguentar muito mais que isso. — sussurrou apertando forte minha cintura, me fazendo sorrir. — Você provoca demais, Estrella e Gusttavo não está gostando disso.
— Hmm... — o encarei com um sorriso brincalhão. — Talvez seja isso que eu quero. Eu adoro provocar as pessoas, ainda mais provocar duas pessoas em uma única vez.

Luan se aproximou lentamente e roçou sua boca na minha, antes de finalmente me beijar num pedido para aprofundar o beijo. E que beijo. Nossas línguas tinham a sincronização perfeita. Abri minha boca deixando que a língua dele encontrasse com a minha e uma sensação de prazer tomasse conta do meu corpo.

O abracei com mais força, sentindo-o fazer o mesmo em minha cintura. Se eu soubesse que ele beijava tão bem, talvez tivesse feito isto antes. Deslizei minha mão direita para as costas dele e passei as unhas lentamente. Luan beijou meu pescoço, subindo dos lábios para o ouvido, mordendo o lóbulo levemente.

— Quer ir lá pra cima? – Sussurrou com a boca grudada em meu ouvido, me fazendo arrepiar.
— Não. – sorriu dando-lhe um beijo rápido. — Eu quero ir para o seu apartamento, lá será mais confortável.
— Vou buscar minha arma que deixei na área Vip. E só pra te deixar por dentro, eu não gosto de fazer as coisas pela metade. Já que começamos, é sempre bom terminar.
— Acha mesmo que eu não irei terminar o que eu ando querendo desde o dia em que você foi apresentando para o Gusttavo?
Ele segurou em minha mão e fomos até a área Vip para pegar nossas armas. Mas antes de irmos, ele pediu dois copos de Wisky para nós, enquanto esperávamos no enorme sofá vermelho ao lado dos outros garotos.
— Está tentando me embebedar para me levar para cama? – sorriu maliciosa — Se essa for sua intenção está perdendo tempo, você consegue isso sem me dar um copo de Wisky. — falei piscando para ele e acariciei suas pernas mordendo os lábios.
— Lá embaixo vocês pareciam estar se divertindo muito. — Gusttavo falou irônico, beijando o pescoço de uma vadia nos encarando com raiva.
— É mais divertido te provocar de perto – respondi deslizando minha mão para a coxa de Luan, apertando-a levemente quando chegou perto de sua virilha.
— Você quer mesmo acabar comigo, não é? — Luan comentou.
— Sim, mais não aqui. O que acha de irmos logo? Acho que eu já não estou aguentando mais de tanta excitação Luan. — falei mordendo seus lábios e praticamente me sentando em seu colo.
— Até amanhã pessoal, agora é nossa vez de divertir. —  Luan disse e fomos para o seu apartamento.

Eu já não estava me reconhecendo mais, a culpa não era da bebida, mais depois que eu me envolvi no mundo do crime com os garotos mudei-me completamente. Estava parecendo uma vadia e o pior é que eu estava gostando de estar agindo assim.

[...]

Sua mão acariciou minhas pernas descobertas e me puxou para seu colo. Sentei-me sobre ele, com uma perna de cada lado de sua cintura e segurei em sua nuca puxando-o para um beijo intenso. As mãos dele seguravam firmemente minhas coxas da garota e num movimento habilidoso me colocou deitada embaixo de si.
Luan desceu os beijos até meu ombro descoberto e deixou que sua língua acariciasse minha pele. Ele se movimentou novamente em cima de mim e ao me ouvir gemer, sorriu vitorioso.

— Prefiro sua cama, o carro vai nos atrapalhar muito.

Saímos rapidamente do carro e caminhamos às cegas por um corredor escuro ainda no andar de baixo. Subimos a escada comigo em seu colo e ele acendeu a luz e me colocou sentada na bancada de seu banheiro rapidamente, apenas para tirar a boxer vermelha que usava e pegar uma camisinha na gaveta.

Senti minhas costas tocarem a parede fria e Luan descer os beijos para meu pescoço. A boca dele desceu por meu colo, até chegar a meu seio, me fazendo fechar os olhos com força e deixar que gemidos mais frequentes escapassem.

Luan foi se aproximando de mim e foi chegando mais perto, puxando-me pela cintura e beijando-me. Foi um beijo calmo e doce no começo, mas tornando-se intenso e quente em seguida. Abracei-o e puxei para mais perto de mim e ele deitou nossos corpos na sua enorme cama brutalmente, sem cortar o beijo.

Ficamos sem ar e ele começou a distribuir beijos em meu pescoço, enquanto tirei sua camisa e comecei a beijar seu peitoral musculoso. Logo ele inverteu nossas posições e retirou a última peça que restava, meu sutiã. Distribuiu beijos pelo meu colo até meus seios, enquanto eu arranhava suas costas devido ao prazer que ele me proporcionava.

Luan ajeitou-se entre minhas pernas e me beijou na mesma hora em que penetrou. Viramos um só, com ele foi diferente, ele foi mais romântico que Gusttavo e eu gostei daquilo. Chegamos ao ápice juntos e ele me puxou para deitar em seu peitoral.

Quando desceu do colo do garoto, sentiu as pernas bobearem e agradeceu por ele estar a abraçando pela cintura. Coloquei minha cabeça em seu peito e pude ouvir seu coração batendo forte. Após me olhar por alguns segundos, Lu passou o polegar em minhas bochechas fazendo um gesto carinho.

— Acho que vou ter que colocar essa no top três. — comentou me beijando.
— Se continuar assim, só vai ter eu no seu top cinco. – sorri mordendo os lábios.
— Estou gostando disto, se você estiver no meu top cinco, quer dizer que ainda iremos fazer isso muitas vezes. — ele mordeu o lábio inferior me encarando.
— Não seria nada mal.
Sorrimos novamente e ele me puxou pelo queixo selando nossos lábios, dormimos em seguida.
[...]

— Bom dia pessoal, desculpa a demora. — falei assim que Luan e eu chegamos no galpão.
— Não era nem preciso terem vindo, não faria diferença.
— Não enche Gusttavo.
— Não reclama Estrella.

Ótimo, eu consegui deixá-lo com ódio e mim e isso não era legal. Ele não iria descontar sua raiva só em mim, iria fazer de tudo para Luan se sentir mal. Conversamos sobre o que faríamos daqui pra frente, novos assaltos e blábláblá.
Após sermos liberados me despedi dos garotos e fui embora com Samuel, mas antes de entrar em seu carro senti alguém puxar-me pelo braço quase me machucando. Era Gusttavo, e ele não estava com sua melhor cara.
Eu falei para você não brincar comigo Estrella.

Então ele me soltou com força fazendo minha mão bater no carro e machucar, saindo dali com uma garota desconhecida por mim em seu carro. Deixando apenas a poeira no ar.

  • Roupa de Estrella para a festa: aqui.

  • Fiquem atualizadas com novos capítulos, participando do Grupo no Face (aqui) ou nos seguindo no Twitter Oficial do Blog (aqui). 
  • Deixem os users de seus Twitters nos comentários aqui no Blog, no grupo do Face ou deixe seu comentário no nosso Twitter @ImaginesGL :)
  •  Fiquem de olho no nosso Twitter de Imagines, costumo dar dicas sobre o que acontecerá nos próximos capítulos.

23 janeiro 2014

Toxic - Capítulo 5 (Bruno & Luan)


1.125 palavras 

Estrella Hastings Narrando –
_ Somos os melhores cara – gritou Gusttavo pela escuta enquanto fugíamos dos tiras. – quero todos na The Venetian daqui duas horas para comemorarmos.
Mais um assalto de sucesso, nada melhor que comemorarmos na Venetian.

Las Vegas, NV 89109, Estados Unidos.
_ Preciso ir ao banheiro. – disse para Debby que ficou me esperando no bar.
Eu estava completamente bêbada e mal consegui encontrar o banheiro. Abri a primeira porta que encontrei e senti uma mão encostando-se a mim. Era o banheiro dos homens droga.
_ Aonde a garotinha pensa que vai? – um bêbado me segurou pelo braço. – Não sabia que aqui era banheiro das mulheres.
_ Me solta! – tentei tirar a mão dele do meu braço. – Você está me machucando merda.
_ Calma gata.
_ Solta ela. – Gusttavo chegou dizendo e quase não ouvi sua voz já que o som estava completamente alto.
_ Veio salvar sua donzela? Você já conseguiu mais uma pro seu castelo Gusttavinho? – disse debochadamente.
_ Deixa de ser imbecil cara.
_ Você a viu primeiro? – abriu um sorriso falso e debochado. – Foi o que pensei, então vaza.
_ Ela está me acompanhando cara, e sua atitude não foi legal. – Gusttavo disse já partindo pra cima do cara com socos e chutes.
_ Vamos, deixa esse idiota aí. – caminhamos até o bar.
Comentei com Debby e ela ficou rindo da minha cara. Grande amiga né? Fomos para a pista de dança e eu já estava lá me esfregando em qualquer. Vi Gusttavo me comendo com os olhos e fui andando em sua direção.
- Hey, quer dançar? – Peguei sua mão, o puxando.
No mesmo minuto começou a tocar Higher do Taio Cruz. Dei um sorrisinho mordendo o lábio inferior e comecei a dançar no ritmo da música. Virei-me de costas para ele enquanto ele segurava minha cintura, começando a dançar também. Sabia que não lembraria direito dessa noite. Infelizmente.
Ao virar de frente a ele, o peguei olhando em meus olhos, apertou forte minha cintura me aproximando mais de seu corpo e rocei meus lábios no seu.
_ Quero ir embora! – sussurrei em seu ouvido.
_ Eu te levo. – me convidou pra me levar pra casa.
_ Eu poderia dizer “não precisa”, mais na verdade eu queria muito.  – Até amanhã Debby, se você se cuida viu? – disse para minha amiga e peguei minha bolsa.
Gusttavo fez questão de ir abraçado comigo até o lado de fora, para evitar que outro idiota chegasse perto de mim. Entrei dentro do carro dele e ficamos calados até chegar à porta de sua mansão.
_ Então quer dizer que a casa hoje é só para nós?
_ E o carro também – ele sorriu malicioso e subiu em cima de mim me beijando.

[...]

Gusttavo me imprensou contra a parede e passeou pelo meu corpo usando suas mãos. Ele tinha uma pegada incrível, e já me fez arrepiar apenas com seu toque. Então como a velocidade da luz ele me pegou no colo e caminhou até a cama.

Ele apertou minhas coxas e ficou por cima de mim, tomando controle da situação e retirou meu vestido. Agora estávamos apenas de roupas íntimas. Não por muito tempo.

Estávamos nus e ele me penetrava fortemente. Meus gemidos eram abafados pelos seus beijos selvagens e eu arranhava suas costas larga a cada movimento que ele fazia dentro de mim. Após uma hora e uns minutos, ele caiu ao lado do meu corpo e escutávamos apenas nossas respirações que estavam ofegantes e fortes.

[...]

_ Estrella, acorda.
_ Não quero Gustt.
_ Samuel precisa da gente.
_ Diga para ele que depois vamos.
_ Ele tem que nos apresentar dois novos de nossos caras.
_ Ah, que saco. – disse me sentando na cama e coçando os olhos – Estou morrendo de dor de cabeça.
_ Bebe menos da próxima, agora vamos. Você tem meia hora para se arrumar.
Entramos em sua lamborghini e fomos para minha casa. Gusttavo me esperou enquanto eu tomava meu banho e me arrumava para então irmos até ao galpão. Bem que Samuel me avisou que teriam novos membros na gangue mais nem me importei, deveriam ser os mesmo caras de sempre. FEIOS!
_ Certeza que vai pelada?
_ Não estou pelada Gusttavo. Hoje está um belo dia de sol e é preciso deixar a mostra minhas lindas pernas branquelas haha.
_ Os novatos vão te desejar.
_ Eu sei mais eles devem ser feios como os outros.
_ E se fossem bonitos?
_ Ah Gusttavo, isso não te convém. Não sou sua baby, agora vamos.
Dei um leve tapa em seu rosto e fomos para o galpão. Discutimos durante o caminho devido ele ligar o som do carro alto, minha cabeça doía como se estivesse prestes a explodir. Qualquer barulho estava me incomodando, até mesmo o som da minha respiração.
Adentramos o galpão que era cercado por vários seguranças de Gusttavo armados dos pés a cabeça. E puta que pariu que homens gostosos são esses? Até uma freira fica de quatro para eles.
_ Fala Gusttavo, e aí maninha. – Samuel cumprimentou GL com um toque de mãos e me deu um beijo na testa.
_ São eles? – Gusttavo perguntou matando nossa curiosidade.
_ Sim, Bruno e Luan.
Os garotos o cumprimentaram e ficaram me olhando de rabo de olho. Bruno era um moreno supergostoso, apaixonei-me em sua covinha. Luan era branquelo como meu irmão e tinha um bumbum que meu Deus, queria eu poder apertar para ver se era de verdade.
Ao perceber que eu encarava aquela bunda gostosa balancei a cabeça negativamente e caminhei até Gusttavo que estava mexendo no celular com uma cara nada agradável.
_ Quer que eu fale para ele que você está o desejando?
_ Hã?
_ Luan!
_ Ah – sorri – não preciso que falem por mim.

Gusttavo Lima Narrando –
Ela não parecia a Estrella que conheci anos atrás. De uns tempos para cá ela anda muito assanhada e isso me incomoda. Só de saber o fato de que logo ela possa ter outro em sua cama sinto uma raiva tomando conta de mim.
_ Preciso ver as fichas deles Samuel.
_ Aqui está cara.


image
Bruno Mars
– 28 anos.
Arizona, um dos 50 estados dos Estados Unidos, localizado na região sudoeste do país. Bruno já participou de vários esquemas de assaltos a bancos e era expert nisso, sua qualidade era atirar.


Luan Santana
– 22 anos.
Alabama, um dos 50 estados dos Estados Unidos, localizado na região sudeste do país. Luan era novo no ramo, mais seu pai foi um gangster, então ele sabia bem como tudo acontecia. Já participou de sequestros, assaltos e sua habilidade é a corrida.
Não gostei muito de Luan, mais ele serviria bem para uma fuga, assim como Bruno que poderia se juntar a Estrella.

_ Eles ficam – disse a Samuel em alto e bom tom para todos escutarem – E você fique esperto cara – cochichei para Luan.

-----------------------------------------------------------------
  • Roupa de Estrella e Debby para a festa: aqui.
  • Roupa de Estrella para o dia seguinte: aqui.

Continuo com Comentários, aqui ou no Grupo.
  • Fiquem atualizadas com novos capítulos, participando do Grupo no Face (aqui) ou nos seguindo no Twitter Oficial do Blog (aqui). 
  • Deixem os users de seus Twitters nos comentários aqui no Blog, no grupo do Face ou deixe seu comentário no nosso Twitter @ImaginesGL :)
  •  Fiquem de olho no nosso Twitter de Imagines, costumo dar dicas sobre o que acontecerá nos próximos capítulos.

19 janeiro 2014

Toxic - Capítulo 4 (Você Sempre Está Certo)

1.659 palavras 

_ Tudo pronto Samuel? – perguntou Gusttavo.
_ Temos dez minutos para entrar, estão com os silenciadores? – todos confirmaram e ele continuou – Boa sorte, encontramo-nos na casa de Gusttavo daqui no máximo duas horas.
_ Você vem comigo. – Gusttavo me puxou.

Seguranças para um lado, Samuel e James para o outro e Gusttavo e eu juntos. Pulamos o muro da casa de Matt e silenciosamente adentramos em sua casa. Era enorme e muito luxuosa, as luzes estavam apagadas e não escutávamos barulho algum. Gusttavo e Samuel planejaram bem, pois Matt estava viajando para Paris e voltaria apenas na próxima semana.
_ Abaixa! – gritou Gusttavo enquanto ouvíamos diversos tiros, a aflição era visível em meu rosto. – Vem comigo, vai ficar tudo bem.
_ O Samuel.
_ Relaxa, ele sabe se cuidar.

Depois que nossos pais morreram, Samuel é minha única família e sempre fico preocupada. Sei que ele sabe se cuidar, mas as coisas nem sempre dão certo e esse era o meu medo. Eu não iria aguentar não tê-lo mais ao meu lado.
_ Quer desistir? Se quiser eu peço para um de nossos seguranças te levarem.
_ Não, eu quero fazer isso;

Sorrimos um para o outro e saímos de uma das salas. Estávamos indo em direção ao seu escritório quando sentimos a presença de alguém. A arma estava virada para Gusttavo e eu não iria deixar com que fizessem algo com ele, pelo menos não comigo ali.

Quatro tiros!
Eu não senti nada, apenas mais aliviada e a vontade de fazer isso novamente era grande. Gusttavo me encarou surpreso e assustado, mas logo continuamos com o plano até chegarmos onde queríamos, sem nos importarmos com o corpo sem vida ali no chão. Ele digitou uma senha e uma enorme parede enfeitada com quadros se abriu.

Os meninos chegaram à seguida e começamos a pegar tudo o que estava lá dentro. Bolos de dinheiro e barras de ouro, joias e quadros valiosos. De repente os alarmes da casa começaram a disparar e começamos a correr dando tiros para todos os lados. Matamos alguns homens de Matt, mas também perdemos alguns nossos. Gusttavo sempre disse que adorava quando isso acontecia, dizia que dava mais emoção.

Gusttavo Lima Narrando –
Pisei fundo no acelerador e entramos numa rua escura para podermos despistar os homens de Matt. Foi fácil, eles são uns bostas assim como ele.

[...]

_ O que você está fazendo aqui? – perguntei para Alexis, uma vadia que ‘como’ às vezes.
_ Sentiu saudades? – ela mudou de assunto e veio em minha direção mordendo os lábios.
_ Não, você sabe que não. - respondi e continuei mexendo no notebook – agora preciso ir, vai embora. – me levantei.
_ Você não vai a lugar algum sem antes dar o que quero.

Ela me empurrou até minha cama e passou sua mão pela extensão do meu corpo, já que estava sem camisa. Alexis desceu as mãos até meu membro que estava coberto por minha boxer e calça. Naquela manhã, minha cabeça estava explodindo e hoje não era um bom dia, acordei de mau humor. A empurrei no chão e ela caiu perguntando o por que.

_ Simples, não te quero foder hoje, então vaza! Quando eu precisar te ligo.
_ Você é um idiota.
_ Gusttavo eu... – Estrella entrou e perdeu a fala ao ver Alexis quase nua.
_ Ah, então essa vadia é o motivo de você não querer nada comigo agora né viado?
_ O que disse? – Estrella perguntou, vai dar treta.
_ Além de vadia é surda? – Alexis riu debochando.

Acho que o sangue dela ferveu ao ouvir aquilo saindo da boca de uma vadia. Estrella chutou o maxilar dela e a segurou pelos fios castanhos e a levantou. Tinha um corte no rosto de Lexie e Estrella deu-lhe outro soco, fazendo-a gritar.

_ Escuta aqui sua vagabunda, eu não sou qualquer pessoa, então meça suas palavras antes de falar de mim. Entendeu? – então ela lhe deu um último chute – Te espero lá embaixo Gusttavo. – ela disse saindo.
_ Da próxima pense antes de dizer.

[...]

Alexis fora embora com raiva e eu desci ao encontro de Estrella, mas ela já não estava mais lá. Entrei em minha Ranger e fui até ao nosso galpão para resolvermos nosso próximo plano.

_ Resolveu aparecer cara? Onde se meteu? – Samuel perguntou assim que cheguei.
_ Ele estava ocupado comendo uma vadia. – Estrella respondeu no meu lugar enquanto mexia no em seu celular deitada no sofá.
_ Eu desci e você já não estava mais lá.
_ Sabe que não gosto de perder meu precioso tempo, ainda mais esperar as pessoas transarem.
_ Não tinha ninguém transando lá Estrella.
_ Claro, cheguei e atrapalhei. – ela sorriu vitoriosa – Mas não precisa se preocupar, quando os hematomas que deixei no rosto dela desaparecerem, ela volta a te procurar.
_ Vai se foder garota.
_ Não, obrigada. Tenho uma reunião agora, não sou que nem você.
_ Para gente, não estamos aqui para discutirmos e sim para decidirmos mais um assalto.
_ Fala isso para essa idiota.
_ Vai tomar no cu Gusttavo, que saco.
_ Vira aí.

Estrella revirou os olhos e guardou o celular. Samuel e James falaram como poderia ser o próximo assalto, novamente em um banco, já que éramos os melhores nisso. Tudo foi claramente esclarecido e fomos liberados para nos divertirmos. Fomos todos para a casa de Samuel, iríamos fumar um pouco antes de irmos. Ela ainda tinha um semblante cheio de raiva, como se estivesse a fim de matar alguém.

_ Querendo matar alguém? – perguntei entrando em seu quarto.
_ Só estava esperando você chegar para fazer isso.
_ Larga de ser infantil.
_ Vai caçar o que fazer e vaza do meu quarto.
_ E se o que eu quiser fazer foi dentro do seu quarto e em cima da sua cama?
_ Sai – ela gritou se levantando e tentando me empurrar, sem sucesso.
_ Sabe que não vou sair e que você também quer isso.
_ Você é um idiota. Porque não trancou a porra da porta?
_ Ah Estrella, esse tempo todo você estava apenas sentindo ciúmes?
_ Não Gusttavo, em momento algum senti ciúmes.
_ Como se eu acreditasse. Olha Estrella, não transei com aquela vadia. Acordei de mau humor e com uma puta dor de cabeça, mas sabe como são as vadias né...
_ Não, eu não sei.
_ Na cama você lembra-me muito elas – debochei.
_ Idiota!
_ Você sabe que eu vou te beijar né?
_ Sei.
_ E não vai tentar me impedir?
_ Eu não seria tão louca para chegar a esse ponto, mesmo estando com raiva de você.
_ E você odeia quando eu tenho razão né?
_ Correto – ela sussurrou e, antes que ela pudesse perceber qualquer coisa, selei nossos lábios em um beijo rápido e profundo.

Estrella Hastings Narrando –
Gusttavo tinha lábios deliciosos e um beijo excitante, com gosto de menta. Olhei para seu lábio e mordi meu lábio inferior imaginando aquela boca na minha novamente. Inconsciente de meus atos desci minhas mãos por todo o seu peitoral.
_ Já que os garotos estão “ocupados” lá embaixo, a gente podia aproveitar e...
_ Gusttavo, cala a boca!

Puxei-o e o beijei com fúria e ele correspondeu o beijo com a mesma violência, ele me pegou no colo e eu me firmei agarrada com minhas pernas em sua cintura. Desci minhas mãos para baixo da blusa dele e a tirei rapidamente, cravei minhas unhas em suas costas o arranhando levemente. Gusttavo subia sua mão e apertava meus seios ainda por cima do vestido. Olhei de volta para ele a tempo de vê-lo me beijar novamente.

Ele tirou meu vestido quase o rasgando e puxou meus seios para fora do sutiã, os abocanhando. Desci minhas mãos até sua calça e comecei a desabotoá-la. Ele estava sorrindo enquanto beijava meu pescoço e gemia por eu estar fazendo carinho em seu membro. Logo ele inverteu nossas posições e retirou nossas últimas peças de roupas, me penetrando profundamente e de uma vez. Gusttavi começou a chupar meu seio esquerdo enquanto segurava minhas duas coxas pegando sustentação para sua penetração forte e rápida.

Inverti nossas posições e rebolando com muita vontade, roçando todo o resto do corpo um no outro. Ele continuou por algum tempo até que sentimos juntos nossos corpos vibrarem, tínhamos chegado ao nosso ápice, então ele foi diminuindo os movimentos até tirar seu membro de mim.

_ Você sabe que eu sempre vou ser seu, não precisa ficar com ciúmes. – ele disse acariciando-me.
_ Você sabe que eu odeio isso Gusttavo.
_ Mais sabe que eu não vivo sem minhas vadias.
_ Não é isso, odeio o fato de você sempre estar certo. Não gosto de assumir, meu orgulho é mais forte.
_ Esquece isso.
Acabamos adormecendo.

[...]

O dia amanheceu, Gusttavo e Estrella acordaram e foram tomar banho juntos, se amando novamente debaixo do chuveiro. Aquilo parecia que viraria rotina logo.

Tudo estava pronto e um Porsche branco foi estacionado na frente do banco com vidros fechados, encobertos pelo insulfilm, que não permitiam os curiosos visualizarem o proprietário dentro dele. Logo a porta se abriu, e de dentro dele saiu um homem musculoso trajando um elegantíssimo terno e uma gravata de cetim, ele estava acompanhado de uma bela moça loira vestida de vermelho. O rapaz fechou o carro, segurou na mão da moça e encaminhou-se para o interior do estabelecimento.

Passou pelas filas enormes, onde se ouvia alguns clientes reclamando da demora do atendimento, e foi falar diretamente com um dos seguranças, que logo os levaram ao encontro do gerente. Gusttavo inventara que queria abrir um cofre, sua postura indicava superioridade e esse foi o motivo das coisas terem sido rápidas.

O banco era amplo, com diversos caixas, uns vinte mais ou menos. Era forrado com placas de gesso, com câmeras colocadas nos cantos e os seguranças eram todos acima do peso e armados. Era preciso sigilo para não ser notados.


  • Roupa da Estrella para o assalto: aqui.

Continuo com 10 Comentários, aqui ou no Grupo.
  • Fiquem atualizadas com novos capítulos, participando do Grupo no Face (aqui) ou nos seguindo no Twitter Oficial do Blog (aqui). 
  • Deixem os users de seus Twitters nos comentários aqui no Blog, no grupo do Face ou deixe seu comentário no nosso Twitter @ImaginesGL :)
  •  Fiquem de olho no nosso Twitter de Imagines, costumo dar dicas sobre o que acontecerá nos próximos capítulos.